Associação Caatinga apresenta trabalho de Reposição Florestal em curso promovido pela Embrapa

Olavo Vieira, biólogo da Associação Caatinga e Thiago Roberto, gerente da Reserva Natural Serra das Almas, marcaram presença no curso de Gestão de Viveiros e Mudas, promovido pela Embrapa Agroindústria Tropical, entre os dias 17 e 19 de maio. Na ocasião, eles apresentaram a experiência de reposição florestal realizado pela Associação Caatinga e seus desdobramentos.

O curso coordenado por Enio Girão, pesquisador da Embrapa, reuniu um público de 125 pessoas formado por viveiristas, técnicos, agricultores e universitários. Especialistas das mais diversas áreas e instituições abordaram elos da cadeia produtiva de produção de mudas divididos em sete temas: mercado, produção, políticas públicas, legislação, gestão, financiamento, relatos de experiências e dúvidas do público.

Segundo Enio Girão, pesquisador da Embrapa e coordenador do evento, o objetivo do curso foi apresentar e discutir os principais elos da produção de mudas de fruteiras tropicais nativas e ornamentais no Ceará, com o objetivo de promover um ambiente para articulação, discussão, parcerias e aprendizagem. Os participantes receberam um relatório de avaliação que ainda será tabulado para que se possa ver como o público reagiu ao curso. “O curso foi um sucesso e já estamos pensando em um voltado para sistemas agroflorestais e fertirrigação”.

Thiago Roberto, gerente da Reserva Natural Serra das Almas, destaca que esse foi um momento de reunir pessoas que trabalham com viveiros e mudas no Ceará e estabelecer essa rede de contatos. Além de que foi uma oportunidade de troca de experiências sobre a área. “A participação da Associação Caatinga nesse evento foi apresentar todas as etapas do nosso trabalho de reposição florestal, desde a coleta de sementes até o plantio de mudas no campo e nossa interação com os agricultores das comunidades do entorno da Reserva Natural Serra das Almas”.

Laila Queiroz, estudante de agronomia da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Brasileira (UNILAB), que participou do curso, conta que pensa em se profissionalizar e se capacitar na área e avalia a apresentação sobre a reposição florestal na Caatinga. “O curso de agronomia da UNILAB dá muita ênfase no pequeno agricultor, e a palestra sobre produção de mudas para a Caatinga fez com que eu agregasse informações importantes às que eu já tinha anteriormente,” destaca.

Ao fim do curso, houve relatos de experiências de profissionais que já atuam nos diversos segmentos da cadeia produtiva de mudas. Além da Associação Caatinga, estiveram presentes no curso representantes da Secretaria do Desenvolvimento Agrário do Governo do Estado do Ceará, Superintendência Estadual do Meio Ambiente, Secretária Estadual do Meio Ambiente, Universidade Estadual do Ceará, Instituto Federal do Ceará e ONG’s.

Confira essa e outras matérias na terceira edição da revista ACaatinga, clicando aqui.