Pela terceira vez na história da Associação Caatinga a parceria com a Petrobras por meio do Programa Petrobras Socioambiental é retomada para a nova etapa do projeto No Clima da Caatinga III (NCC), iniciativa que busca a mitigação de efeitos potencializadores do aquecimento global através da conservação do semiárido e consequente a fixação e emissão evitada de CO² na atmosfera.

O Projeto foca na proteção e valorização da Caatinga, única floresta exclusivamente brasileira, e que mesmo assim ainda recebe pouca atenção e baixo investimento para a conservação em ações de sustentabilidade, mesmo que seja um dos semiáridos com maior biodiversidade do planeta.

A terceira fase do NCC irá manter sua atuação na Reserva Natural Serra das Almas (Unidade de Conservação mantida pela Associação Caatinga em Crateús) e nas comunidades do entorno da Reserva, atendendo as regiões no sertão do Ceará e Piauí. As tecnologias sustentáveis como o forno solar, o fogão ecoeficiente e a cisterna de placas, e a educação ambiental chegarão a 30 comunidades do Ceará e 10 do Piauí, o que contribui para o uso inteligente dos recursos naturais e, consequente, melhoria da qualidade de vida da população local.

O NCC é realizado pela Associação Caatinga e patrocinado pela Petrobras e Governo Federal por meio do Programa Petrobras Socioambiental e atua diretamente na proteção da Caatinga onde ocorrem animais ameaçados de extinção como o Tatu-bola. O mamífero, mascote da Copa do Mundo de 2014 por indicação da Associação Caatinga, é a espécie bandeira do projeto.

São três linhas de atuação prioritárias: biodiversidade e sociodiversidade, floresta e clima, e água. As ações serão desenvolvidas nos eixos de prevenção e conservação, uso inteligente dos recursos naturais e educação e comunicação.

Desenvolvimento do No Clima da Caatinga
Um dos principais objetivos da iniciativa é o fomento à gestão de Reservas Particulares do Patrimônio Natural (RPPNs) e o estímulo à criação de políticas públicas ambientais, como a realização do seminário sobre incentivos econômicos para a conservação da natureza, planejado para a etapa final do NCC III.

Outra linha de atuação é a educação ambiental, que será trabalhada de maneira a sensibilizar os envolvidos em momentos de interação nas escolas e nas comunidades. “A Educação Ambiental é uma ferramenta construtiva de saberes e conhecimentos referente ao ambiente natural local, que auxilia na transformação necessária para uma convivência harmônica e equilibrada com a Caatinga, através da consciência crítica e sensibilidade para um novo cuidar”, comenta Andreza Antunes, técnica educadora ambiental.

Tatu-bola preservado – o porta-voz da proteção ao bioma
Famoso por se tornar mascote da Copa do Mundo de 2014, realizada no Brasil, o Tolypeutes tricinctus, o nosso tatu-bola, é um mamífero endêmico da Caatinga e está na lista vermelha de espécies ameaçadas de extinção (IUCN/ICMBio, 2015) sendo um dos principais causadores desse cenário a redução da cobertura natural seu habitat natural para retirada de madeira e pelo fogo para abertura de novas áreas de cultivo. Infelizmente o animal pode ser extinto nos próximos 50 anos, de acordo com estudos.

Dessa forma, o tatuzinho será o embaixador do trabalho realizado pelo No Clima da Caatinga e será a personificação da proteção à Caatinga.