Primeiro Torneio Tatu-Bola marca comemoração dos 20 anos de Associação Caatinga

Entre uma estação férrea que liga os estados de Piauí e Ceará e casas típicas de interior, o campinho do povoado Cana Brava, situado a 13 km de seu município sede, Buriti dos Montes (PI) foi palco do I Torneio Tatu-Bola no dia 30 de outubro. O evento, promovido pelo Projeto No Clima da Caatinga (NCC) com patrocínio da Petrobras por meio do Programa Petrobras Socioambiental e Governo Federal foi realizado pela Associação Caatinga (AC) em comemoração dos seus recém completados vinte anos.

Através de uma ação de educação ambiental, o I Torneio Tatu-Bola não só foi pensado como uma forma simbólica de homenagear as duas décadas de trabalho da Associação Caatinga, como também, uma ação que envolvesse o máximo de rostos, sorrisos, olhares, trejeitos e falas de pessoas que compõem e são beneficiadas pelo projeto No Clima da Caatinga.

O evento perdurou ao longo do dia e se dividiu em dois ambientes concomitantemente: pela manhã, o Torneio Tatu-bola levou a comunidade Cana Brava a uma movimentação bastante eufórica. Cerca de 66 estudantes oriundos de quatro escolas da região deram um verdadeiro show de bola Caatingueiro. Times femininos e masculinos cheios de raça e coragem enfrentaram o sol bastante presente do Piauí fazendo da manhã do dia 30 de outubro uma verdadeira “Copa do Mundo da Caatinga” com direito à torcida vibrante e show de forró.

Ao mesmo tempo, na Unidade Escolar Gonçalves Furtado foi disponibilizada salas para a exposição “Conheça e Conserve a Caatinga” – uma série de banners autoexplicativos e réplicas de animais da fauna Caatingueira em tamanho real; jogos lúdicos – onde os participantes puderam interagir e se ambientar com as mais variadas formas didáticas de conhecerem o habitat onde vivem, a Caatinga; e uma sala para sessão de cinema do Cine Tela Verde – ação a qual o projeto No Clima da Caatinga promove a exibição de filmes e documentários que retratam a cultura e vivências do homem do semiárido.

Como toda e boa tradicional festa Caatingueira, não se pode deixar de lado o bom e velho forró. “Seu” Francisco, “Seu” Manoel e uma turma de amigos músicos, moradores do Assentamento Jurema fizeram a festa acontecer ao som típico do triângulo, zabumba e sanfona, tanto no campinho, quanto no pátio da escola durante a tão esperada entrega de medalhas e prêmios do Torneio. Para ‘Seu’ Francisco “o evento foi para ficar na história de Cana Brava, e como quero entrar para a história, nada melhor que ser o sanfoneiro da festa”, brinca.

Uma outra atração que chamou bastante atenção no evento, foi a apresentação dos grupos BM STREET – onde o grupo mostrou uma coreografia pra lá de ensaiada aos modos “dança de rua”. Os jovens trazem a tona uma urbanização perdida em meio ao sertão. Com características físicas e rítmicas projetadas a luz de referências urbanas, o projeto atua de modo significativo na vida dos jovens conterrâneos da zona rural do Piauí – e PROJETO JASMIM – uma iniciativa da Secretaria de Educação de Buriti dos Montes, onde desde o seu surgimento, em 2008, já beneficiou mais de 1.000crianças e adolescentes com jornada ampliada de dança (balé clássico e folclórico), aulas de teatro, aulas de capoeira, palestras e reforço escolar. Através do acesso à cultura, os pequenos sertanejos vêm moldando uma nova roupagem de viver e ser da Caatinga.

O forno solar, uma tecnologia sustentável desenvolvida e parte integrante do NCC também foi apresentada à comunidade pelo colaborador, Carlito Rodrigues. Na ocasião, como forma de testar a sua eficiência, foram feitos bolos e outras receitas. Carlito explica que “o sol, o qual muita gente tem como vilão na vida de quem vive no sertão, pode-se tornar um aliado com essa tecnologia, pois, além de ser sustentável e fazer comidas tal qual um fogão à gás, traz economia de energia elétrica, como diminui o risco de queimadas e desmatamento ocasionadas pelo uso do fogão à lenha”.

O saldo dessa comemoração de aniversário foram mais que números quantitativos ou planilhas de estatística. Ver, sentir e participar de uma ação que envolve toda uma comunidade que enfrenta diariamente a dureza de se adaptar ao semiárido é, para a Associação Caatinga, um privilégio. E nada mais digno que essa festa fosse comemorada em conjunto com todos aqueles que fazem do bioma Caatinga, único.

As quase duas horas de estrada íngreme Caatinga adentro, calor intenso e muito suor, foram esquecidos ao ver o brilho nos olhos de crianças, jovens, adultos e anfitriões da região com toda a movimentação. E é com respeito e admiração ao homem sertanejo e ao bioma Caatinga, que a AC vem parabenizar a todos que contribuíram para que o I Torneio Tatu-Bola fosse um verdadeiro sucesso. Ressaltamos que, todos os atores que compõem o cenário Caatingueiro são partes fundamentais de todo o trabalho da Associação. E chegar aos vinte anos de compromisso com esse trabalho e com esses saldos, é um reconhecimento imensurável para a instituição.