20 anos de Reserva Natural Serra das Almas

20 anos de Reserva Natural Serra das Almas, a maior Reserva Particular do Patrimônio Natural do Ceará

Há vinte anos, no dia 8 de setembro de 2000, surgia a Reserva Natural Serra das Almas. Um pedaço de floresta que fica na divisa entre o Ceará e o Piauí. São mais de 6 mil hectares de caatinga preservada, um sonho que saiu do papel e transformou-se na maior Reserva Particular do Patrimônio Natural do Ceará.

Duas décadas repletas de histórias. Foram dezenas de pesquisas, inúmeros prêmios, centenas de hectares reflorestados, visitas ilustres, ações de educação ambiental… Enfim, tudo que poderia acontecer em uma unidade de conservação aconteceu na Serra das Almas.

Mas como toda boa história, precisamos começar pelo começo e o início dessa é longe da Caatinga. Lá pelas bandas dos Estados Unidos, o empresário Samuel Johnson, magnata de uma grande multinacional chamada SC Johnson, criou o Fundo para Conservação da Caatinga. Mas agora você deve estar se perguntando por que um bilionário americano do iria gastar o próprio dinheiro para proteger as florestas de outro país?

Aí a história vai para 1935, quando o pai de Samuel Johnson, o Herbert Johnson, viajou dos Estados Unidos até o Ceará em um avião bimotor. O motivo? A cera da Carnaúba, a árvore símbolo do Ceará e do Piauí. O produto da palmeira era, na época, a principal matéria-prima da empresa da família americana. A corajosa viagem ficou conhecida como “O espírito da Carnaúba”

 

 

63 anos depois, já em 1998, Samuel Johnson decidiu recriar a aventura do próprio pai. Pela segunda vez, a família Johnson voava em um bimotor, da América do Norte até as florestas da Caatinga. Samuel dedicou essa expedição a duas causas, primeiro ao pai, pelo espírito empreendedor e aventureiro e à carnaúba em forma de gratidão por tudo que ela representava para os empreendimentos da empresa. A viagem foi registrada no documentário “A memória de um filho”, lançado em 2001.

 

 

 

Ainda em 1998, a SC Johnson e a organização internacional The Nature Conservancy criam a Associação Caatinga com a missão de ”promover a conservação das terras, florestas e águas da Caatinga para garantir a permanência de todas as suas formas de vida”. E no dia 21 de setembro de 2000, Samuel Johnson estava presente na “recém-nascida” RNSA para a inauguração oficial da unidade de conservação. E durante esses 20 anos muita coisa foi posta  em prática: conservação da fauna e flora, pesquisas científicas, combate a incêndios, projetos de educação ambiental, práticas de desenvolvimento junto às comunidades localizadas ao entorno da área e etc. Todas ações com o propósito de combinar preservação ambiental e sensibilização ecológica com geração de renda e melhoria da qualidade de vida local.

 

 

Toda a estrutura da RNSA foi construída com um propósito sustentável. 37 painéis solares produzem toda a energia que a unidade precisa. Cisternas de placas armazenam a água utilizada. Um sistema bioágua reutiliza a água desperdiçada e também há um meliponário, onde as Jandaíras, abelhas nativas ameaçadas de extinção, são criadas. Tudo aliado um projeto de conservação ambiental e geração de renda para as comunidades.

Outro foco do plano de manejo foi o desenvolvimento sustentável das comunidades ao entorno da RNSA. O contato com as 40 começou tímido e hoje, mais de 3.600 famílias já passaram por nossa história. Tudo aconteceu (e ainda acontece) através de oficinas ambientais, palestras, atividades dentro das escolas, capacitações e distribuições de tecnologias sustentáveis. 

 

 

Por todo esse trabalho, em 2005 a RNSA foi reconhecida pela Unesco como Posto Avançado da Reserva da Biosfera da Caatinga, por ser abrigo de uma amostra significativa da fauna e da flora da Caatinga. São 45 espécies de mamíferos, 323 de plantas, 45 de répteis, 237 de aves e 33 de anfíbios. Além das três nascentes de águas cristalinas que fazem parte da bacia hidrográfica do Poti.

Todos os aspectos são desenvolvidos juntos. Comunidades reserva e a floresta como três faces da mesma moeda. Por esse e outros motivos, nós da Associação Caatinga parabenizamos a Reserva Natural Serra das Almas por seus 20 anos de defesa e conservação do único bioma exclusivamente brasileiro.