Associação Caatinga renova apoio com Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza

 

A Associação Caatinga (AC) garantiu vaga entre as 14 iniciativas nacionais no processo seletivo para o edital de Apoio a Projetos da Fundação Grupo Boticário de 2019. A Fundação, uma das principais instituições da iniciativa privada a apoiar financeiramente ações e pesquisas científicas em conservação da biodiversidade brasileira, através do projeto ‘RPPN: Conservação Voluntária Gerando Serviços Ambientais’ com a realização da AC garante até 2020 mais ações de proteção ambiental na Caatinga.

Além do apoio à criação de pelo menos mais uma RPPN em área prioritária de conservação do bioma, o projeto também vai ajudar a fortalecer a gestão da RPPN Serra das Almas, Unidade de Conservação modelo e com maior extensão territorial no Estado do Ceará. Esse fortalecimento vai envolver, entre outras coisas, a manutenção de trilhas e adaptações para deficientes físicos, ampliação do sistema de energia solar na Reserva, aquisições de EPIs para incrementar a segurança dos visitantes, câmeras para armadilhas fotográficas, assim como melhorar e ampliar o sistema de radiocomunicação.

 

Parceria antiga

A parceria iniciou em 2002 quando a Associação apoiou a realização, em Fortaleza, do 3º Congresso Brasileiro de Unidades de Conservação. Nos anos de 2007 e 2008 a Instituição executou um projeto de ecodesenvolvimento patrocinado pela Fundação que fomentava o desenvolvimento sustentável em comunidades rurais de Crateús (CE) e contribui principalmente para a geração de renda.

Ao longo dos mais de 20 anos de atuação da Associação Caatinga a Fundação Grupo O Boticário de Proteção à Natureza tem sido uma grande parceira na promoção de desenvolvimento sustentável, criação de Unidades de Conservação e desenvolvimento de estratégias para diminuir o risco de extinção de espécies ameaçadas, como o Tatu-bola, espécie guarda-chuva da Caatinga.

 

Projeto RPPN: Conservação Voluntária Gerando Serviços Ambientais 

Promovido pela Associação Caatinga, o projeto ‘RPPN: Conservação Voluntária Gerando Serviços Ambientais’ tem como objetivo contribuir para a conservação no bioma Caatinga através do apoio à criação e fortalecimento da gestão das Unidades de Conservação privadas na Caatinga do Estado do Ceará. 

O projeto em sua primeira fase, equivalentes aos anos de 2017 e 2018, criou duas RPPNs: A RPPN Sítio Lagoa, criada em janeiro de 2018 (data comemorada oficialmente pela primeira vez o Dia Nacional da RPPNs) primeiro fruto do projeto. Possui 70,00 hectares e está localizada em Guaramiranga, região serrana do Estado, a 110 km da capital. Posteriormente veio a RPPN Fazenda Fonseca – Irmã Heloísa e Maurício Holanda, possuindo 226,20 hectares, localizada em Quixadá, a maior cidade do sertão central.