Conheça o Programa Petrobras Socioambiental e como ele atua no meio ambiente brasileiro
destaque-associacao-caatinga-clima-petrobras-programa-socioambiental

Conheça o Programa Petrobras Socioambiental e como ele atua no meio ambiente brasileiro

Desde 2011 o Projeto No Clima da Caatinga (NCC) realiza ações de conservação do semiárido que contribuem para a mitigação dos efeitos potencializadores do aquecimento global e toda essa década de atividades foi possível por causa de uma iniciativa: o Programa Petrobras Socioambiental. 

Mas o que é esse programa? O que a Petrobras tem a ver com a conservação do meio ambiente? São perguntas que você pode estar fazendo agora mesmo. Mas calma, vamos te explicar tudo. 

A estatal brasileira já investiu bilhões em pesquisas científicas e projetos socioambientais em prol da transição para uma economia de baixo carbono. O objetivo da empresa é apoiar as comunidades localizadas em áreas de atuação da instituição e contribuir para a mitigação de riscos sociais e ambientais.

Desde 2013, os planos e estratégias de responsabilidade social e ambiental da Petrobras foram combinados em um projeto que busca a sustentabilidade do meio ambiente brasileiro: o Programa Petrobras Socioambiental. O programa patrocina, por meio de seleção pública, projetos socioambientais nos diferentes biomas brasileiros.

Toda a atuação da Petrobras e do Programa Petrobras Socioambiental está alinhada aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), uma coleção de 17 metas globais estabelecidas pela Assembleia Geral das Nações Unidas (ONU).

A instituição prioriza iniciativas voltadas aos ODS 4 (Educação de Qualidade), ODS 8 (Desenvolvimento Econômico Sustentável), ODS 14 (Vida na Água) e ODS 15 (Vida Terrestre).

Programa Petrobras Socioambiental

O Programa Petrobras Socioambiental foi lançado em novembro de 2013, a partir da experiência de projetos anteriores, reunindo os Programas Petrobras Desenvolvimento & Cidadania, Petrobras Ambiental, Petrobras Esporte & Cidadania e Integração Petrobras/Comunidade.

Por meio do Programa Petrobras Socioambiental, a Petrobras atua em parceria com organizações da sociedade civil e, dessa forma, contribui para a sustentabilidade do meio ambiente brasileiro. 

O programa realiza atividades socioambientais por meio de quatro Carteiras de atuação: Educação, Desenvolvimento Econômico Sustentável, Oceano e Clima. A metodologia funciona da seguinte forma: periodicamente a Petrobras abre seleções públicas e projetos de todo o Brasil passam por análises até que uma certa quantidade de projetos sejam escolhidos.

Assim sendo, a Petrobras, por meio do Programa Petrobras Socioambiental, patrocina a OSC que passou pela seleção pública e, a partir daí, o projeto agraciado realiza atividades socioambientais em seu local de origem, contemplando três temas transversais: infância, inovação e direitos humanos.

Além dos temas transversais, os projetos das quatro Carteiras atuam para fortalecer o diálogo com as comunidades presentes nas áreas de atuação da Petrobras; impulsionar a produção de conhecimento relevante e promover transformações sociais e ambientais positivas na sociedade.

Desde 2013, o programa já investiu 89 milhões em projetos socioambientais; 18 milhões em patrocínios de projetos culturais, 8 milhões em patrocínios em negócios, ciência e tecnologia e 5 milhões em patrocínios de projetos esportivos.

Por meio das atividades do programa, 470 espécies de fauna (sendo 52 espécies ameaçadas de extinção) e mil espécies de flora foram beneficiadas com projetos de conservação e 502 publicações (artigos científicos, livros e etc) foram produzidas.

Além disso, 139.732 pessoas participaram diretamente de capacitações e sensibilizações, 24.681 participantes de 0 a 6 anos tiveram atendimento contínuo e 67.014 participantes integraram processos formativos. 

Carteira Clima

Dentre as Carteiras do Programa Petrobras Socioambiental há a de Clima, a qual o projeto “No Clima da Caatinga” está inserido. O objetivo desta carteira é patrocinar projetos que buscam conservar e recuperar florestas e áreas naturais com foco na remoção e manutenção dos estoques de carbono.

Além do No Clima da Caatinga, outros quatro projetos atuarão de forma integrada em ações relacionadas ao clima, contribuindo para a conservação dos recursos naturais e mitigação dos efeitos do aquecimento global em diferentes biomas brasileiros: projeto Semeando Água; projeto Viveiro Cidadão; projeto Raízes do Purus e projeto Florestas de Valor.

Conheça um pouco mais sobre cada um desses projetos:

Projeto No Clima da Caatinga     

O “No Clima da Caatinga” é realizado pela Associação Caatinga e, desde 2011, desenvolve atividades socioambientais em dois municípios: Buriti dos Montes (PI) e Crateús (CE) . O objetivo do projeto é diminuir os efeitos potencializadores do aquecimento global por meio da conservação do semiárido. 

A base de trabalho do NCC é a Reserva Natural Serra das Almas, unidade de conservação de 6.285 hectares incluída na categoria Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN). Por seu trabalho de conservação do semiárido, o NCC já recebeu sete prêmios nacionais e internacionais.

O projeto já distribuiu 730 tecnologias de convivência com o semiárido, capacitou 2.778 pessoas, criou três RPPN, plantou 86.200 mudas de plantas nativas da Caatinga, restaurou 73,80 hectares e alcançou 82.235 pessoas por meio de atividades de educação ambiental.

Instagram: https://www.instagram.com/noclimadacaatinga/

Facebook: https://www.facebook.com/projetonoclimadacaatinga/

Projeto Semeando Água

O “Semeando Água” é realizado, desde 2013, pelo IPÊ – Instituto de Pesquisas Ecológicas. A área de atuação do projeto é a Mata Atlântica. O objetivo do projeto é promover ações com potencial de aumentar a segurança hídrica do Sistema Cantareira.

Durante os anos de execução, o projeto Semeando Água restaurou 30 hectares de Mata Atlântica, plantou mais de 50 mil árvores nativas do bioma, converteu 70 hectares de terra para o sistema sustentável de produção, impactou mais de 20 mil pessoas por meio das redes sociais, beneficiou mais de 7300 pessoas com atividades virtuais durante a pandemia e capacitou mais de 200 produtores e técnicos rurais.

Além disso, o projeto também criou 15 unidades demonstrativas com modelos sustentáveis de uso do solo e impactou mais de 23 mil estudantes. 

Instagram: https://www.instagram.com/institutoipe/

Projeto Viveiro Cidadão

O “Viveiro Cidadão” é realizado, desde 2013, pela Associação Ecológica Guaporé –  Ecoporé. O projeto, que é desenvolvido em Rolim de Moura (RO) e municípios em seu entorno, contribui com a reflorestação de áreas degradadas e objetiva recuperar Áreas de Preservação Permanente (APP) e Reservas Legais.

Desde o início do projeto, a iniciativa beneficiou 506 propriedades rurais de 8 municípios de Rondônia. Os agricultores familiares beneficiados receberam gratuitamente em suas propriedades 1,2 milhões de mudas de árvores de 73 espécies agroflorestais para o plantio. A ação possibilitou que 356 hectares de áreas degradadas fossem colocados em recuperação. 

O público envolvido diretamente com ações de educação ambiental ultrapassa 5 mil pessoas e mais de 500 receberam apoio para o plantio de árvores.

Instagram: https://www.instagram.com/viveirocidadao/

Facebook: https://www.facebook.com/ecoporeviveirocidadao

Projeto Raízes do Purus

O “Raízes do Purus” é realizado pela Operação Amazônia Nativa desde 2013, e na sua terceira edição dará continuidade ao apoio a iniciativas de manejo sustentável de recursos pesqueiros (pirarucu e outras espécies de interesse econômico) e de produtos florestais não madeireiros (castanha, açaí e copaíba) em seis Terras Indígenas nas bacias dos rios Purus e Juruá, no sul e sudeste do Amazonas, contribuindo para a conservação de um cinturão de mais de dois milhões de hectares de florestas. Além da assessoria técnica para a estruturação destas cadeias produtivas indígenas, o Raízes do Purus apoia a busca e o fortalecimento de canais de venda para comercialização coletiva, participativa e justa destes produtos.

O projeto também fortalece os sistemas de vigilância destes territórios, aumentando a capacidade dos povos Apurinã, Banawa, Deni, Jamamadi, Kanamari e Paumari de protegerem suas terras e conservar a biodiversidade nelas presente.

Com o apoio ao manejo sustentável dos produtos da sociobiodiversidade em 275.000 hectares florestais dos territórios indígenas, o Raízes do Purus contribuirá para a absorção de 120.000 toneladas de carbono por ano, ajudando na mitigação das mudanças climáticas globais.

Instagram: https://www.instagram.com/raizesdopurus/

Facebook: https://www.facebook.com/raizesdopurus

Projeto Florestas de Valor

O “Florestas de Valor” é realizado pelo Imaflora Brasil. O objetivo do projeto é estimular a criação de cadeias produtivas sustentáveis dentro do mosaico de áreas protegidas da Amazônia brasileira, gerando renda e conservando a floresta.

O projeto fortalece as cadeias de produtos florestais não madeireiros, dissemina a agroecologia para que as áreas protegidas e seu entorno contribuam para o desenvolvimento regional, proporcionando condições dignas às populações locais e conservação dos recursos naturais. Atua na conservação da floresta nas regiões da Calha Norte do Rio Amazonas, na Terra do Meio e no município de São Félix do Xingu, fomentando atividades produtivas e oportunizando a geração de renda na Amazônia Legal brasileira.

Instagram: https://www.instagram.com/imaflorabrasil/

Facebook: https://www.facebook.com/imaflora