fbpx

Há quatro anos levando transformações reais para a cadeia produtiva da carnaúba

Incentivar melhorias na cadeia produtiva da carnaúba, disseminar tecnologias sustentáveis para famílias do sertão e desenvolver ações de educação ambiental. Esses foram os objetivos centrais do Carnaúba Sustentável, um projeto realizado pela Associação Caatinga em parceria com o Sindicato das Industrias Refinadoras de Cera de Carnaúba do Estado do Ceará, que desde 2016 vem qualificando o mercado cerífero com ações diretas em municípios cearenses.

A segunda fase do projeto, que teve início em 2018, disseminou tecnologias sustentáveis de convívio com o semiárido para famílias ligadas à cadeia produtiva da carnaúba. Foram distribuídas 20 cisternas de placas, dois sistemas bioágua e 35 fogões ecoeficientes em dois municípios do Ceará: Granja e Morrinhos. Ambas as localidades têm importância fundamental para o mercado cerífero do Brasil.

Para analisar quais as famílias deveriam receber as tecnologias sustentáveis, a equipe da Associação Caatinga empreendeu levantamentos socioeconômicos com centenas de famílias da região. Os critérios de escolha trataram de aspetos como a formação do núcleo familiar (com prioridade para lares com crianças e idosos), renda, acesso à água, uso de lenha e aptidão para a agricultura.

Ainda durante a segunda fase, a Associação Caatinga realizou três encontros nos municípios Sobral, Russas e Granja. Ao total, os três “Diálogos da Carnaúba” (nome dado aos eventos) reuniram 158 pessoas e mais de 40 de instituições em discussões sobre formalização das relações de trabalho, segurança laboral, saúde e aposentadoria.

Além disso, a segunda fase do Carnaúba Sustentável também colaborou com o combate à Unha do Diabo (Cryptostegia madagascariensis), uma planta invasora que tem infestado carnaubais no Ceará. A espécie de trepadeira sobe nas carnaúbas sufocando-as até a morte. O projeto contribuiu com a difusão de conhecimentos acerca dessa planta.

Primeira fase do projeto

A primeira fase do projeto também disseminou tecnologias sustentáveis de convívio com o semiárido para famílias ligadas à cadeia produtiva da carnaúba. Foram 18 cisternas de placas, 37 fogões ecoficientes e quatro sistemas bioágua em oito comunidades do interior do Ceará (Filomena, Barão Vermelho, Lagoas, Pendência, Queimadas, Santa Luzia, Tabuleiro e Tapuio). 

Outros quatro “Diálogos da Carnaúba” foram organizados nessa fase. Dessa vez os encontros aconteceram em Morrinhos, Jaguaruana, Granja e Aracati. 270 pessoas participaram das discussões e mais de 40 instituições do setor produtivo da carnaúba estiveram presentes.

Segundo Sandino Moreira, coordenador de educação ambiental da Associação Caatinga, o intuito do Carnaúba Sustentável é “por um lado munir o produtor e o trabalhador carnaubeiro de informações relevantes e, por outro, assistir as comunidades e famílias que se envolvem com a atividade, visando a melhoria da qualidade de vida e a redução da vulnerabilidade social”.

Assista ao vídeo abaixo para saber mais sobre o projeto Carnaúba Sustentável. Se curtir, inscreva-se no canal.

Grupo de trabalho

Durante as visitas de campo aos municípios, os colaboradores da Associação Caatinga constaram uma condição prejudicial na cadeia produtiva da carnaúba: a desorganização dos pequenos produtores. “Foi possível perceber uma lacuna de competência importante no público de produtores no que tange à organização empreendedora, à produtividade e à administração financeira”, asseverou Sandino.

A dificuldade na hora de botar os negócios para frente e os lucros modestos das safras afastam o pequeno produtor dos padrões de profissionalismo, organização e segurança exigidos por órgãos de fiscalização. Com o intuito de capacitar esses trabalhadores, a Associação Caatinga, junto do SEBRAE, do CENTEC, do IBAMA e do SENAR, vai desenvolver grupos de trabalho para oferecer consultorias profissionais a fim de ajudar as famílias envolvidas com a cadeia produtiva da carnaúba dos municípios Marco (CE) e Morrinhos (CE).

Parcerias e resultados

O Carnaúba Sustentável é realizado pela Associação Caatinga, patrocinado pelo Sindicato das Indústrias Refinadoras de Cera de Carnaúba do Estado do Ceará (Sindcarnaúba) e com o apoio da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec) e da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Ceará (Faec).