Associação Caatinga apresenta manual de boas práticas da cadeia produtiva da Carnaúba

Associação Caatinga apresenta manual de boas práticas da cadeia produtiva da Carnaúba

Colaboradores da Associação Caatinga apresentaram, no dia 13 de novembro, o Manual de Boas Práticas da Cadeia Produtiva da Carnaúba. A solenidade aconteceu no Museu da Indústria de Fortaleza e reuniu figuras do campo público e privado. O manual, que também tem versão em inglês, é um guia que busca incentivar a qualificação dos profissionais envolvidos com o manejo da palmeira, além de tornar os processos de exploração da planta mais sustentáveis.

Segundo Sandino Moreira, coordenador de educação ambiental da Associação Caatinga, o manual foi pensado da forma mais abrangente possível. “O propósito é levar as melhores iniciativas e práticas para todos os atores da cadeia produtiva da carnaúba, desde o trabalhador extrativista, passando pelos beneficiadores da palha do pó até o processamento industrial”, declarou.

A Associação Caatinga também produziu vídeos didáticos para apresentar o conteúdo do documento com uma linguagem simples e acessível. O propósito é alcançar o maior número de pessoas, incluindo profissionais do ramo que, porventura, sejam semianalfabetos ou analfabetos. O material foi gravado em Morrinhos (CE) e Esperantina (PI), municípios com forte histórico na área da produção carnaubeira.

O manual e os vídeos também discutem o controle de pragas, a legislação e regulação do ramo, a necessidade de equipamentos de proteção individual e outros pontos fundamentais para o desempenho sustentável e ético da cadeia produtiva da carnaúba. Sandino afirma que é a ideia é que o material continue atual e “cada vez mais difundido”, mas sem deixar de lado a “fácil aplicabilidade”. 

O desenvolvimento do manual foi apoiado pela empresa alemã Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit. A implementação foi feita no âmbito do Projeto Ação do Setor Privado para a Biodiversidade, como parte da Iniciativa Internacional para o Clima. Já o Ministério do Meio Ambiente (MMA) alemão apoiou essa iniciativa com base em uma decisão adotada pelos parlamentares da República Federal da Alemanha junto ao MMA brasileiro.

Faça o download clicando nas imagens abaixo.