fbpx

Dia Nacional das RPPN´s: conheça as unidades de conservação do Piauí e Ceará

Dia 31 de janeiro marca o Dia Nacional das Reservas Particulares do Patrimônio Natural (RPPN). A data, estabelecida em 2017 pelo Congresso Brasileiro, busca intensificar a criação de RPPN´s no Brasil e atrair a atenção da sociedade para essa ferramenta de proteção ambiental.

As RPPN´s são unidades de conservação privadas criadas a partir da iniciativa voluntária do proprietário do terreno. Melhor dizendo: é uma área de proteção ambiental gerada sem desapropriação de terra por uma pessoa física ou jurídica que tem interesse em transformar seu terreno em uma região preservada.  Segundo dados da Confederação Nacional de Reservas Particulares do Patrimônio Natural (CNRPPN) existem, no Brasil, 1571 RPPN´s que, ao total, protegem uma área de quase 900 mil hectares.

O sudeste é a região brasileira com mais RPPN´s: 657 ao total. Já o norte amarga a última colocação com apenas 54 unidades desse modelo. Em segundo lugar está o Sul; a região conhecida pelo bioma dos pampas tem 408 unidades de conservação privadas. Em terceiro,  com 288 RPPN´s, o Nordeste. Já o centro-oeste fica na quarta posição com 164.

Os dados do CNRPPN também mostram um ranking de RPPN´s por bioma: Mata Atlântica (1144); Cerrado (247); Caatinga (75); Amazônia (59); Pantanal (22); Ecossistemas Costeiros (22) e Pampa (8). O painel ainda traz detalhes sobre as quatro unidades de conservação privadas localizadas em regiões de transição entre os biomas Cerrado e Mata Atlântica.

RPPN´s do Ceará

Com 37 RPPN´s, o Ceará é o segundo Estado do nordeste com mais unidades privadas, atrás apenas da Bahia, que possui 157. Ao total, 15.837 hectares do meio ambiente cearense são protegidos devido ao trabalho realizado nessas áreas.

Das 37 RPPN´s do Estado, 26 foram criadas com a contribuição da Associação Caatinga. A organização não governamental atuou na criação das unidades ou na produção dos planos de manejo dessas propriedades (plano de manejo é um documento imprescindível que detalha as características físicas, sociais e ambientais da área preservada).

Além de ter colaborado com o surgimento de 70% das RPPN´s cearenses, a Associação Caatinga administra e gere a maior unidade de conservação privada do Ceará: a Reserva Natural Serra das Almas (RNSA). Localizada no município de Crateús, a RNSA possui 6285 hectares de extensão e é palco para projetos que vão da educação ambiental até a distribuição de tecnologias sustentáveis para comunidades ao entorno da área.  

Para elaborar os planos de manejo e os estudos de criação de unidades de conservação, a Associação Caatinga conta com uma equipe técnica especializada de biólogos e geógrafos. Entre os serviços prestados estão: levantamento de fauna, flora e meio físico; oficinas de planejamento; elaboração de mapas e memoriais descritivos; georreferenciamento e cálculo de custos para a gestão anual da RPPN.

Confira o vídeo abaixo do canal da Associação Caatinga para conhecer um pouco mais sobre as RPPN´s criadas através do trabalho da Associação Caatinga. Se curtir, inscreva-se no canal!

RPPN´s do Piauí

O Piauí possui seis RPPN´s. Mas, apesar do número ser baixo, a meia dúzia de unidades de conservação preservam 33.691 hectares. A maior propriedade do Estado é a Fazenda Boqueirão, com 27.459 hectares. Já a menor é a Fazenda Centro, uma área que estende-se por 139 hectares. 

Perguntas e respostas sobre RPPN´s

Apesar de ser uma realidade em todos os Estados brasileiros, as RPPN´s ainda são desconhecidas por grande parte da população. Para facilitar o acesso à informações sobre esse tipo de unidade, o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade criou três documentos explicativos que podem ajudar aqueles interessados no tema: o “Perguntas e Respostas sobre RPPN”; o “Roteiro para Criação de RPPN Federal”; e o “Roteiro Metodológico para elaboração de Plano de Manejo para RPPN”.